sexta-feira, 17 de setembro de 2010

PM DO RIO ESTÁ DE LUTO !

Cenas de guerra em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Na manhã desta sexta-feira, bandidos armados com fuzis efetuaram mais de 50 disparos em uma padaria na Rua Geremário Dantas, altura do número 57, no Tanque, matando um policial militar do 18º Batalhão (Jacarepaguá) e um cliente. Outro PM e dois funcionários do estabelecimento foram baleados.
"Qualquer ação desta natureza e contra os direitos humanos e a sociedade. Com a UPP, Jacarepaguá vem obtendo uma redução no número de crimes e hoje é um bairro tranquilo. Este é um fato atípico para a região. Vamos prender estes elementos de qualquer jeito", disse o comandante do batalhão, coronel Djalma Beltrame.
O policial militar morto foi identificado sargento Leopoldo das Neves Nascimento, de 43 anos. O cliente morto é Moacir Queiroz Batista e os funcionários feridos são Bárbara dos Santos Sampaio, caixa da padaria, e Antônio Lima Coelho.
De acordo com testemunhas, ele e o cabo Francis Pereira Mendonça, de 32 anos, tomavam café na padaria quando quatro bandidos em um sedan, de cor preta, fecharam a rua e dispararam na direção deles. O sargento ainda conseguiu sacar sua arma e atirar, mas foi atingido e morreu no local.
Sub-comandante do 18º BPM não acredita em execução
O sub-comandante do 18º Batalhão (Jacarepaguá), major Ubiratan Saraiva Cardoso de Carvalho, não acredita que os bandidos tenham ido ao local apenas para matar os policiais. "O carro dos criminosos já estava lá (próximo à padaria), possivelmente para que algum crime fosse cometido. Não acredito em execução, mas sim em medo do bando de ser abordado pelos PMs que estavam na padaria", disse o oficial.
O cabo Mendonça foi baleado e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jacarepaguá e, após receber os primeiro socorros, foi transferido para Hospital Lourenço Jorge. Os funcionários baleados também foram levados para a unidade da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.
"As primeiras informações mostram que os dois PMs estavam de serviço e não tiveram tempo de reação. Estamos investigando a possibilidade deles estarem na padaria para checar algum tipo de atitude suspeita na região", completou o major.
Após o crime, PMs do 18º Batalhão (Jacarepaguá) receberam informações sobre o paradeiro dos bandidos e estiveram na Comunidade do Tanquinho, mas ninguém foi preso. Um agente da DH afirmou ainda que existe a possibilidade de um dos criminosos ter sido atingido pelos disparos feitos pelo sargento antes de morrer. Policiais civis e militares fazem buscas em hospitais da região para tentar localizar o homem.
A Delegacia de Homicídios (DH) da Barra da Tijuca assumiu o caso e peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) realizaram uma perícia no local.

Nenhum comentário: